Vogue Espanha: Entrevista Completa e Fotos

Pessoal, acaba de ser divulgada a entrevista completa da Megan para a revista Vogue Espanha, e mais fotos do ensaio. Este ensaio fotográfico foi feito em maio, um pouco depois do aniversário da Megan. Confiram as fotos abaixo e a tradução da entrevista onde Megan fala sobre sua personalidade, beleza, filmes de comédia, casamento, seu estranho senso de humor que quase “matou” o Brian uma vez e o que ela espera que aconteça com ela daqui a cinco anos.

Post por Andie

Dia De Sorte: “Vivo em um estado permanente de felicidade”, diz a atriz e musa da Armani, Megan Fox. Recém casada e a ponto de estreiar em comédias, a mulher mais desejada do mundo mostra suas cartas.

Megan: “Se eu uso minha sexualidade como arma? Constantemente, todo o tempo. E normalmente com resultados favoráveis para mim (risos).”

Hollywood sempre gostou de amar ícones que o mundo idolatrasse e corpos que respondam aos padrões de beleza do momento. Este parece ter sido o caso de uma atriz que, da noite para o dia, saltou do anonimato para o estrelato em parte por causa da sua sexualidade. Seu nome é Megan Fox, dona de um olhar felino, cabelos sedosos e uma pele branca, capaz de subir os índices de testosterona e de colocar os shorts que usava em Transformers na lista dos mais procurados. A atriz chega aos estúdios Smashbox, em pleno coração de Hollywood, acompanhada de sua assistente e seu agente, com um dos contratos da Armani e um monte de projetos debaixo do braço, mas com uma boa disposição, própria de uma profissional que não hesita em se entregar a uma longa sessão de fotos (7 horas no total), e de onde a única pausa, de trinta minutos, seria dividida entre o almoço e retoques de maquiagem e cabelo. Nos surpreendeu a paciência de Megan durante as cinco mudanças de figurino, sua docilidade diante das instruções dos estilistas e na forma gentil com ela apontava seus pontos de vista. Realmente Megan não parece ter nada de diva mandona. Ela chega ao estúdio como gosta de se vestir: calça jeans, top branco e chinelos. Curiosamente, ela parece bem menor ao vivo do que nos filmes. E seu jeito intimidante nos mesmos, se revelam tímidos ao vivo. Provavelmente devido a um certo desconforto provocado pelo fato de se sentir muito exposta, o que no entanto não a impede de ser generosa. Megan nos conta que acaba de comemorar seus 25 anos no Rancho San Ysidro, em Santa Bárbara, na companhia de seu marido, o ator Brian Austin Green, no que ela define ter sido “dias de sonho”.

Vogue: Como você se sente agora que completou 25 anos?

Megan: Não sei ao certo. Eles chegaram muito rápido a ponto de parecerem muitos anos. Mas me sinto mais adulta, estou mais amadurecida. Lembro de quando eu completei 23 anos como se fosse ontem, mas nestes dois anos que passaram, muitas coisas aconteceram e muito rapidamente.

Vogue: Você aprendeu a manter distância de certas coisas?

Megan: Não é algo que eu faça de forma consciente, mas fico feliz quando acontece. Essa imagem que criaram de mim tem muitos ângulos. Vivemos num mundo de frases cortadas e manchetes, e eu prefiro que não me conheçam através de uma frase solta da mídia. Eu gosto quando dou entrevistas inteiras, que entendam quem eu realmente sou e do porquê de minhas decisões. Sou muito mais do que um pedaço de carne para a mídia vender. A midia mostra uma mulher muito diferente da que eu realmente sou. E o problema é que não tem como controlar isso. As pessoas acreditam no que elas querem e eu não posso comentar cada coisa que dizem, porque minha vida acabaria sendo consumida por ter que contestar mentiras. Prefiro aceitar que este é outro aspecto do meu trabalho.

Vogue: Você tem algum problema em utilizar sua sexualidade como arma?

Megan: Se eu uso minha sexualidade como arma? Constantemente, todo o tempo (risos).

Vogue: Com bons ou maus resultados?

Megan: Normalmente favoráveis para mim.

Vogue: Você já abusou do poder da sua beleza?

Megan: Eu fiquei aterrorizada durante um momento da minha carreira por causa disso, quando começou a se criar uma certa obssessão com a minha pessoa no sentido de que muitas pessoas me diziam que eu era só bonita e nada mais e isso me fez sentir muito insegura. Era praticamente insuportável.

Vogue: Muitas jovens te consideram uma das mulheres mais belas e sexies do planeta. Você sente isso como uma responsabilidade?

Megan: É impossível me esquecer dessa responsabilidade, mas não sinto que ela seja minha. Não tenho como me comunicar com estas jovens diretamente, não posso influenciar do modo que eu gostaria. Não tenho controle do que lêem sobre mim em revistas ou na internet. Por isso que eu acho que a mídia é a responsável pelo que está acontecendo com a juventude hoje.

Vogue: E em Hollywood também.

Megan: Nesta indústria, a maioria de nós atores temos tão pouca intimidade. Uns querem esconder algo em benefício próprio e entram em disputa com você. Mas eu tenho a minha família e os meus amigos. Não preciso ficar puxando saco de estranhos. Muitas pessoas acham que fama é só pensar em si mesmos, e estas pessoas podem ficar realmente viciadas nisto.

Vogue: Mas sobre a beleza, você acha que é uma ferramenta de trabalho para uma atriz?

Megan: Não, não acho totalmente. Obvio que é uma ferramenta que você guarda dentro de si como qualquer outra. Mas é muito importante não viver dependendo de beleza e nem que sua carreira dependa dela, porque isso limita muito. Mas reconheço que é um atributo que me dá poder.

Vogue: Você sentiu necessidade de romper com o esteriótipo de mulher bonita e sexy?

Megan: Sim. Eu não quero ficar sempre fazendo o mesmo papel e continuar alimentando uma idéia que o mundo criou de mim e que se supõe que eu deva seguir. Quero ser original sem deixar de ser mim mesma. É importante nesta indústria ter muita determinação, saber o que você quer e lutar por isso. Quando se é honesta, você deve continuar com a cabeça bem erguida, mesmo nos maus momentos.

Vogue: No seu caso, a beleza pode se tornar algo contra?

Megan: Pode ser. Mas não vou continuar a conversa por este caminho, caso contrário vou ter que lidar amanhã com mais uma mentira a meu respeito.

Vogue: Mas pelo menos você gosta das sessões de fotos?

Megan: Esta sendo muito divertida e diferente. Nunca havia montado num balanço para uma sessão de fotos.

Vogue: Sobre Armani, você é a imagem feminina da marca. Você conhece a imagem masculina, o Rafael Nadal?

Megan: Não pessoalmente. Sei quem ele é e meu marido gosta do estilo de jogar tênis dele. Nós não tivemos a oportunidade de nos conhecer na Espanha, quando fomos gravar o comercial, mas quem sabe um dia. Mas acho que ele foi uma ótima escolha da grife.

Vogue: Você acompanha os jogos de tênis?

Megan: Não. O único esporte que eu acompanho é basquete: os Los Angeles Lakers. Também gosto do Pau Gasol e seu irmão Marc, que joga nos Los Grizzlies. Acompanho muito.

Vogue: E você? Como se mantem em forma?

Megan: Faço exercícios três vezes por semana com um personal trainer. Faço muito levantamento de peso, mas não faço cardio e nem nada parecido, porque é muito difícil para manter o meu peso. Como logo em seguida eu o perco, eu procuro não correr, por exemplo.

Vogue: Isso sim, você gosta de se cuidar…

Megan: Sim, me sinto forte, mesmo o trabalho sendo excessivo. Já provei muitas dietas antes, algumas por problemas de saúde, mas agora nao sigo nenhuma. Me alimento de forma saudável. Eu gostaria de ser vegetariana, mas não posso. Eu necessito de proteínas de carne devido ao meu metabolismo e a certas alergias.

Você segue as tendências da moda?

Megan: Eu gosto das novas tendências, mas é necessário investir muito tempo para sempre estar em dia. Além disso, eu sou muito casual. Ganho algumas peças de presente e sei como deveria vestí-las, mas no final não faço (risos).

Vogue: Você chegou aqui vestida com calça jeans e top. É muito difícil encontrar um bom par de calças jeans?

Megan: Muito difícil. Eu gosto de calça com strech porque elas não escondem o que você tem de pernas e bumbum. E são as mais confortáveis para se sentar. Mas no dia a dia, eu adoro pegar as calças jeans do meu marido. Me relaxo tanto dentro delas. Mas nos fins de semana uso as minhas. Mas sempre quis saber como os designers de calças jeans fazem para que as calças fiquem bem em qualquer tipo de corpo.

Vogue: É verdade que você está removendo algumas tatuagens?

Megan: Sim. Acho que eu amadureci. Venho fazendo tatuagens desde que tinha 15 anos, mas amadureci agora. Me sinto outra pessoa. Eu tenho 25 anos e me sinto mais discreta.

Vogue: Agora sobre o filme de Judd Apatow, This Is Forty…

Megan: Tive muitas reuniões com o Judd antes de conseguir o papel. E tive uma sessão de improvisos com o Paul Rudd e a Leslie Mann. No final, eles gostaram das minhas improvisações e desde então me tornei parte da equipe. É um projeto no qual eu me sinto muito entusiasmada. Foi uma oportunidade única e estou levando a sério demais. Vou a todas as sessões e ensaios, reuniões, etc. Está sendo maravilhoso fazer parte desta equipe. E de todos os testes que ja tive que fazer, com certeza uma sessão de improvisação foi muito prazeiroso. Fiquei muito contente com o resultado.

Vogue: Você considera que tem facilidade para comédias?

Megan: Não…Bom, não sei. Quando você tem uma grande equipe ao seu redor, isso acaba te contagiando, o que não quer dizer que você se gabe que é boa. Mas confesso que em casa, eu gosto de seguir minha própria rotina humorística, contando piadas e fazendo brincadeiras. Sempre fiz. Quando se trata de fazer rir, para mim é fácil improvisar.

Vogue: Judd Apatow disse que você tem um senso de humor lindamente estranho.

Megan: É verdade. Sempre tive um senso de humor pouco apropriado para situações convencionais. E isso foi algo que eu também me identifiquei com o Judd quando nos conhecemos. Eu sempre considerei divertidos certos momentos que para outros são um pouco incômodos. Sempre fui assim e não vou mudar agora. Sou estranha mesmo (risos).

Vogue: (risos)….você pode nos dar um exemplo?

Megan: O que me faz rir faz meio que parte da minha personalidade. Mas as vezes até o meu marido acha que eu tenho um senso de humor estranho. Uma vez, durante o jantar, eu estava com muita dor de cabeça, me sentia incomodada. E Brian, que consegue perceber fácil o que as pessoas estão sentindo, me perguntou “O que você tem? Eu sei que tem algo errado”. Então eu fiquei muito séria e respondi “Eu acho que eu não te amo mais”. Pensei que seria divertido, porque seria A PIADA do século, mas ele ficou pra morrer. Ele não achou nada divertido.

Vogue: Por que você decidiu trabalhar com o Judd?

Megan: Porque ele é o melhor diretor de comédia em Hollywood no momento. Além do mais, como eu, ele tem o senso de humor muito raro. Ele é muito encantador e é um diretor pelo qual vale a pena madrugar para gravar e se por as suas ordens para dar o melhor de si para o personagem.

Vogue: E o que você achou de trabalhar com a artista cômica do momento, Kristen Wiig, no filme Friends With Kids?

Megan: Ela e a Maya Rudolph que trabalhou no filme também são atrizes sensacionais. Tem muito talento e são muito divertidas, mas também são muito focadas e atenciosas com o resto do elenco. Eu tive algumas cenas dificeis e elas me ajudaram muito. Neste dia, foi difícil, mas elas estiveram do meu lado o tempo todo.

Vogue: Você gosta de rir de si mesma?

Megan: Depende de qual assunto. Mas sim, sou capaz de rir de mim mesma e dos meus defeitos e erros.

Vogue: O que faz te sentir poderosa como mulher?

Megan: Para mim é muito difícil falar sem ser honesta, sem dizer o que eu penso das coisas. Muitas vezes, me sinto poderosa quando falo algo que todo mundo concorda mas tem medo de fazer ou falar. Eu faço, embora isto traga consequências, porque esta é a minha forma de ser. Eu reconheço que dá medo ser como eu, mas isto me faz me sentir poderosa.

Vogue: Você defende o que você acredita, custe o que custar?

Megan: Sim. Se eu acredito em algo, vou defender isto até o fim. Não vou olhar pra tras e nem me amedrontar. Esta é uma das minhas melhores qualidades, na minha opinião.

Vogue: Você já está trabalhando a varios anos nesta industria. Você sempre soube que queria ser atriz?

Megan: Eu dizia a minha mãe que queria ser atriz desde os 2 anos de idade. Naquela época, eu estava obcecada pela Judy Garland no filme O Mágico De Oz. Era o meu filme preferido e eu o via umas três vezes por dia. Desde então, eu sempre soube que era aquilo que eu queria fazer com a minha vida.

Vogue: Você tem a carreira que você sonhava ter?

Megan: É impossível imaginar o que você vai encontrar, muito menos sonhar com certos elementos dessa profissão que você primeiro idealiza e depois te fazem ficar horrorizada. É uma consequência que você pode ter na vida quando se torna famoso. Mas sim, é uma profissão glamurosa, alucinante e que também te permite viajar ao redor do mundo. Não é repetitiva e você conhece gente nova constantemente, o que é uma grande experiência. Além disso, interpretação é algo que, ao mesmo tempo te assusta, mas você tem que superar. É umaa profissão que te dá uma grande satisfação pessoal. Você pode crescer com os personagens ou se arrepender de interpreta-los se eles forem maus, mas absolutamente todos os personagens que você interpreta te afetam de alguma forma.

Vogue: Você gostaria de trabalhar num filme com o seu marido?

Megan: Nao sei. Eu amo muito ele, nos damos muito bem, somos bons amigos. Mas não sei se jogar o trabalho na nossa relação poderia afetá-la de alguma forma ruim. Não queria isso de jeito nenhum. Acho que talvez produzirmos um filme juntos seria a melhor opção.

Vogue: Você é uma boa cozinheira?

Megan: Tenho algumas receitas herdadas da minha família e posso ser realmente boa se eu quiser. Mas o problema é que eu odeio cozinhar, raramente faço. O Brian não, ele é sensacional. Meu marido ama cozinhar. Na verdade, reconheço que tenho muita sorte de contar com ele.

Vogue: O que você mais gosta de fazer no tempo livre?

Megan: As gravações de filmes podem ser esgotadoras, então as vezes eu chego em casa morrendo de vontade de me jogar no sofá. No meu dia a dia, gosto de ficar com a minha família, ir no cinema, organizar cenas…..e jogar videogame. Meu favorito no momento é Halo.

Vogue: Você acaba de completar 1 ano de casada. Você recomenda o casamento?

Megan: Eu vivo em um estado de permanente felicidade. Eu e meu marido ainda vamos completar 1 ano de casados em junho. E sim, eu recomendo se você está verdadeiramente apaixonada. Eu morei com o Brian durante mais de 5 anos antes de me casar com ele. Dessa forma eu dei tempo suficiente para saber se a nossa relação dava realmente certo. Nossa relação já foi posta a prova várias vezes, mas nós sempre saímos mais unidos delas. Acho que se você encontra alguém que está comprometido com a relação mesmo nos maus momentos, vale a pena se casar. Eu estou encantada com toda essa vida de casada agora. É sensacional.

Vogue: Como você gostaria de se ver daqui a cinco anos?

Megan: Com filhos. Eu quero ter filhos mais cedo do que mais tarde. Quantos? Não sei. Talvez não mais que dois. Mas eu quero dois pelo menos. Eu vou parar de trabalhar durante um tempo para cuidar deles. Eu não queria que eles fossem criados por uma babá. Também queria comprar uma casa no Havaí. E profissionalmente, queria continuar trabalhando com pessoas como o Judd Apatow.

Anúncios

4 comentários sobre “Vogue Espanha: Entrevista Completa e Fotos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s